sexta-feira, 24 de agosto de 2007

desabafo

sou essa a teus pés
pedinte

tapete de poemas
onde deitas
rolas

essa que te sustenta
com uns versos meia-boca
[os que comes
cospes fora]

sou essa a teus pés
disposta

vira-me do avesso
dilacera-me os pedaços
goza em meus restos
faz-me pasto

pisa-me [poesia]
que eu me arrasto

2 comentários:

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

fazendo a linha "pisa, que amacia",
no estilo roberto carlos:

"Mas acontece que eu
Não sei viver sem você
Às vezes me desabafo
Me desespero porque
Você é mais que um problema
É uma loucura qualquer
Mas sempre acabo em seus braços
Na hora que você quer."

Anônimo disse...

...qualquer comentário seria redundar no pleonasmo (risos).

Me sinto repetitivo ao elogiar seu talento, mas fazer o que, né?
Simplesmente me pego de boca aberta, toda vez que me atrevo a ler você.

vIral...